Pesquisa

Carregando...

Postagem em destaque

Agora Você pode Ajudar o Blog "Software Livre Brasília-DF"

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Brasil Deveria Adotar Software Livre Contra Espionagem, diz Sociólogo

Matéria Veiculada na Folha de São Paulo

O governo brasileiro deve se livrar de sistemas operacionais proprietários, como o Windows, para dificultar a espionagem na NSA, a agência de segurança nacional americana.

"Se você der uma olhada nos termos de uso do Windows, vai ver que além de varrer o sistema em busca de arquivos piratas, ele também coleta informações pessoais", diz Sérgio Amadeu, sociólogo e doutor em ciências políticas pela USP.

Amadeu falou em uma mesa sobre espionagem na sétima edição da Campus Party, evento sobre tecnologia e empreendedorismo que acontece até 2 de fevereiro, em São Paulo. 
"Mesmo após as denúncias, a nossa presidente Dilma e nossos ministros continuam usando Windows. Mesmo com a comprovação de que a Microsoft colabora com a NSA", diz o sociólogo.

"Tudo bem você não querer trocar de sistema por não se achar um alvo, mas crer que a presidente, que os seus funcionários de alto escalão e que as nossas empresas públicas não são alvos é ser muito ingênuo", completa. 

CRIPTOGRAFIA
 
Além do software livre, a criptografia (sistema que torna os dados ilegíveis para quem não tiver a chave para decifrá-la), foi apontada como uma ferramenta que pode dificultar a mineração de dados por empresas e governos. 

"Uma informação sem criptografia custa US$ 0,16 para ser decifrada. Mas se os dados estiverem criptografados, a decodificação pode custar até US$ 10 mil". 

Anahuac de Paula Gil, integrante de mesa e parte do movimento de defesa do software livre da Paraíba, discorda que sotware livre e criptografia possa resolver as coisas. 

"Não adianta proteger as informações com programas se nós, diariamente, lotamos a internet com nossos dados. Entregamos de bandeja nossa vida inteira voluntariamente sem pensar. Enquanto isso for feito, nenhum programa pode ajudar", completa. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário