Minha foto
Henderson Matsuura Sanches
Professor nas Faculdade JK de Tecnologia e Faculdade JK Michelangelo no Distrito Federal; Mestre em Engenharia Biomédica pela UnB/FGA (2017); Graduado em Licenciatura em Computação pela Faculdade Fortium (2011); Membro da Comunidade LibreOffice Brasil desde 2013; Membro da TDF – The Document Foundation desde 2014; Coordenador Geral do FLISOL – DF nos anos 2018, 2017 e 2016; Pesquisador no Laboratório de Informática em Saúde (LIS) da UnB/FGA com pesquisas envolvendo Ontologia no Tratamento da Neoplasia Mamária (NM); Membro da Comunidade Soffware Livre de Brasília; Sócio da ASL – Associação Software Livre; Sócio da SBC – Sociedade Brasileira de Computação e Sócio da SBEB – Sociedade Brasileira de Engenharia Biomédica.

Postagem em destaque

SparkyLinux 6.0

O projeto SparkyLinux desenvolve uma distribuição baseada em Debian em uma variedade de sabores leves. O projeto publicou uma nova versão estável, SparkyLinux 6.0, que é baseada no Debian 11 "Bullseye".

"Sparky 6.0“ Po Tolo ”foi lançado. É baseado e totalmente compatível com o Debian 11 'Bullseye'. Destaques: baseado no Debian estável 11 'Bullseye'; todos os pacotes atualizados do Debian 'Bullseye' e Sparky 'Po Tolo' repositórios em 16 de agosto de 2021; Firefox 78.13.0ESR em vez do Firefox (mais recente); Thunderbird 78.13.0; VLC 3.0.16; LibreOffice 7.0.4; Calamares 3.2.41.1; kernel Linux 5.10.46 LTS como padrão; fontes de desktop definido como 11; exfatprogs substituiu exfat-fuse e exfat-utils para gerenciar partições exFAT; ipp-usb instalado para permitir que um dispositivo USB seja tratado como um dispositivo de rede; MinimalGUI: PCManFM substitui DoubleCMD-GTK e Firefox-ESR substitui o navegador Epiphany; MinimalCLI: multilingue removido das configurações de inicialização e do instalador CLI. Sparky APTus não é um registrador em desenvolvimento e foi substituído pelo Sparky APTus AppCenter, introduzido há mais de um ano."

Para ler a nota de lançamento clique aqui. Para baixar clique no link:https://sparkylinux.org/download/ 

Comentários